29 de junho de 2011
Imprimir | Indicar a um amigo Programa nacional implementará 4 mil Academias da Saúde

Ação do Ministério da Saúde visa modificar quadro de sedentarismo e sobrepeso dobrasileiro. Atividade física previne doenças como diabetes e hipertensão.
O Ministério da Saúde vai implementar 4 mil pólos do Programa Academia da Saúdeaté 2014, em todo o país. Para isso, publicou, na segunda-feira (27), no DiárioOficial da União, duas portarias que permitem a adesão e destino de recursos aosmunicípios interessados. A ação prevê uma série de medidas voltadas à promoçãoda saúde dos brasileiros no Sistema Único de Saúde, com a criação de espaçosespecíficos para o desenvolvimento de práticas corporais, atividades físicas, lazer ede modos de vida saudáveis.

A Organização Mundial de Saúde recomenda a prática de 30 minutos de atividadefísica, em cinco ou mais dias por semana. De acordo com o último Vigitel, inquéritotelefônico realizado pelo ministério, 16,4% dos brasileiros adultos são fisicamenteinativos. Segundo o estudo de 2010, quase metade da população adulta (48,1%)está acima do peso e 15% são obesos.

“A exemplo dos programas desenvolvidos em algumas capitais, o Academiada Saúde busca eliminar barreiras como a inexistência de espaços públicos delazer, o que reduz a possibilidade de acesso às práticas corporais pela maioriada população”, explica Deborah Malta, coordenadora de Vigilância de Doenças eAgravos Não Transmissíveis, do Ministério da Saúde.

Segundo a coordenadora além de receber orientações sobre atividades físicas, desegurança e de educação alimentar e nutricional, a população praticará ginástica,capoeira, dança, jogos esportivos, yoga, tai chi chuan e atividades artísticascomo teatro, música, pintura e artesanato. Os exercícios serão orientados porprofissionais capacitados. O Programa tem como referenciais iniciativas bemsucedidas realizadas em cidades como Recife (PE), Aracaju (SE) e Belo Horizonte(MG).

A portaria define três modalidades de pólos. A modalidade básica conta comambiente destinado a atividades coletivas e espaço externo que contenha áreamultiuso com equipamentos para alongamento. Os pólos intermediários terão,além desses componentes, um depósito de materiais. Essas duas modalidadesdevem ser construídas próximas a Unidades Básicas de Saúde. Já a ampliadaprevê, ainda, uma estrutura de apoio com ambientes internos, além de jardins ecanteiros. Os governos locais poderão construir, com recursos próprios, estruturascomplementares, como pistas para caminhada, quadras esportivas e parquesinfantis.

O Programa faz parte das Políticas Nacionais de Atenção Básica e de Promoção daSaúde e integra o Plano de Ações Estratégicas para o Enfretamento das DoençasCrônicas não Transmissíveis no Brasil, que será apresentado em setembro durantea Assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York (EUA). Ameta do Ministério da Saúde é implantar 1 mil polos por ano até o final de 2014.

“O Programa Academia da Saúde é um importante exemplo de políticas públicascom grande potencial de articulação intersetorial, voltado para a promoção da saúde e de modos de vida mais saudáveis, lúdicos e comunitários, fortalecendo aautonomia decisória dos indivíduos e contribuindo para a valorização da culturalocal. Com isso, reafirma-se o compromisso da atenção básica na promoção dasaúde e na integração das ações de vigilância e de atenção à saúde”, consideraHeider Pinto, diretor do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde.

RECURSOS – Os municípios receberão R$ 180 mil por unidade para a construçãode polos de Academia da Saúde. Com esse recurso será custeada a construçãode espaços físicos e aquisição de equipamentos. Os custos adicionais poderão sercomplementados pelos estados e municípios.

Em relação à manutenção, caso o projeto esteja vinculado a um Núcleo de Apoioà Saúde da Família (NASF), será feita transferência fundo a fundo, regular econtinuada, de R$ 3 mil mensais. Se não possuir um NASF, o município receberáuma única parcela de R$ 36 mil anuais. A exigência é a mesma: um profissionalcom carga de 40 horas semanais ou dois com mínimo de 20 horas cada, vinculadosa atividade do Programa Academia da Saúde. As instruções para as duas formasestão disponíveis no site http://www.saude.gov.br/academiadasaude



Fonte: Site da Amrigs- 28/06/2011




Deseja divulgar seu evento?

Clique aqui e preencha o formulário! É simples!





Palavras de Moacyr Scliar

Na qualidade de profissional da área da saúde, tenho a maior admiração por "O Cuidador", bela publicação editada por Marilice Costi que preenche, com sensibilidade e competência, uma lacuna: aquela representada pela necessidade de amparar os que cuidam de pessoas com limitações. Este periódico é um benefício para toda a sociedade.



Aqui outros depoimentos





Produtos Culturais e Serviços Ltda. - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Brasil - Fone: +55 51 3508.8009 - [email protected]