27 de junho de 2011
Imprimir | Indicar a um amigo Autistas: Promotora pode entrar com ação coletiva

A promotora de Justiça da Infância e da Juventude da Capital, Noara Bemardy Lisboa, aguarda informações da Secretaria Municipal da Saúde para se manifestar sobre a suspensão do atendimento para crianças portadoras de autismo. Em abril, um grupo de alunos especiais teve o tratamento interrompido após o fechamento do Serviço de Assistência à Educação e Readaptação do Menor (Saerme), no Bairro Menino Deus.

As atividades foram encerradas por problemas financeiros e de gestão da entidade. Dos alunos, 20 passaram por nova
avaliação oferecida pela prefeitura. Oito são de famílias que moram na Capital.

- Dependendo da resposta, poderei ingressar com uma ação coletiva para a prefeitura custear o tratamento (dos oito alunos da Capital) em uma clínica privada -advertiu a promotora.



Fonte: Diário Gaúcho - Dia a Dia | Pág. 4 / Clipado em 24/06/2011




Deseja divulgar seu evento?

Clique aqui e preencha o formulário! É simples!





Palavras de Moacyr Scliar

Na qualidade de profissional da área da saúde, tenho a maior admiração por "O Cuidador", bela publicação editada por Marilice Costi que preenche, com sensibilidade e competência, uma lacuna: aquela representada pela necessidade de amparar os que cuidam de pessoas com limitações. Este periódico é um benefício para toda a sociedade.



Aqui outros depoimentos





Produtos Culturais e Serviços Ltda. - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Brasil - Fone: +55 51 3508.8009 - [email protected]