02 de maio de 2013
Imprimir | Indicar a um amigo Autocuidado - saiba como evitar um enfarte!

Nem sempre a dor no peito é a principal manifestação do infarto do miocárdio (coração). Indisposição gástrica, dor na "boca do estômago", formigamento no braço, falta de ar e tontura também estão entre os sintomas que sinalizam a ocorrência de uma parada cardíaca, de acordo com o cardiologista Elias Knobel.


Segundo o também cardiologista Luiz Francisco Cardoso, "muita gente desconhece que uma dor na barriga ou no braço, por exemplo, pode ser sintoma de infarto e atrasar a ida para o hospital". Cardoso acrescenta que a demora vai comprometendo o músculo (miocárdio) e, seis horas depois, o paciente pode ter a falência da bomba cardíaca.


Nesse quadro, Knobel ressalta que, de uma forma geral, é possível considerar dor. mal-estar, desconforto ou falta de ar (principalmente em idosos) como as primeiras manifestações de uma doença aguda das coronárias, cuja consequência mais explícita é o infarto.


"A dor acontece quando há uma redução do fluxo na artéria coronária seja em decorrência de uma obstrução ou de um espasmo. Nesses casos, a coronária se fecha e impede a passagem de sangue e oxigênio para o músculo cardíaco. A falta de oxigénio, então, é manifestada por uma dor, um desconforto ou uma arritmia."


Como Identificar a dor que leva ao infarto.


Knobel observa que a dor torácica pode significar outros problemas. Ela, por exemplo, pode ser decorrente de uma lesão na pele até urna alteração da costela, do nervo e do músculo intercostal, ou um problema na coluna. "Muitas patologias podem provocar dor torácica, dor no esófago, no pulmão e outras. Até mesmo ao realizar uma atividade física o indivíduo pode ter uma distensão do músculo intercostal que pode simular uma dor coronariana", descreve.


Entretanto, o médico frisa: -Costumo dizer que há dois tipos de dores, a dor coronariana e as outras. Com os outros tipos há tempo para diagnosticar a sua origem. Já na dor coronariana é preciso agir rapidamente. Nesse caso tempo é vida".


COCHILADA PODE AJUDAR SAÚDE DO CORAÇÃO E EVITAR INFARTO.


Pesquisadores gregos garantem que o hábito de se tirar uma boa soneca durante o dia pode ajudar a melhorar a saúde do coração. O levantamento foi feito durante seis anos com mais de 23 mil homens e mulheres com idades entre 20 e 86 anos e que têm o hábito de dar um cochilo de pelo menos meia hora por dia. O resultado revelou que essas pessoas tiveram uma redução de quase 40% no risco de desenvolver alguma doença coronariana.


De acordo com os médicos, o hábito da sesta diminui os níveis de estresse, o que pode colaborar para aumentar a resistência do coração aos ataques cardíacos. Contudo, os pesquisadores alertam que o hábito da soneca deve vir acompanhado de outros, como uma alimentação saudável e a prática de exercícios. (Folhaptess)



Fonte: O Sul - Caderno Reportagem Pág. 3




Deseja divulgar seu evento?

Clique aqui e preencha o formulário! É simples!





Palavras de Moacyr Scliar

Na qualidade de profissional da área da saúde, tenho a maior admiração por "O Cuidador", bela publicação editada por Marilice Costi que preenche, com sensibilidade e competência, uma lacuna: aquela representada pela necessidade de amparar os que cuidam de pessoas com limitações. Este periódico é um benefício para toda a sociedade.



Aqui outros depoimentos





Produtos Culturais e Serviços Ltda. - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Brasil - Fone: +55 51 3508.8009 - [email protected]