09 de julho de 2012
Imprimir | Indicar a um amigo Medicamentos vencidos terão destino apropriado em Porto Alegre

Farmácias terão de receber de volta remédios vencidos.

 
Foi aprovado na Câmara de Vereadores um projeto de lei que estabelece procedimentos para o descarte de remédios fora do prazo de validade. Para entrar em vigor, a lei precisa ser sancionada pelo prefeito José Fortunati. A partir da publicação da lei, as farmácias serão obrigadas a fazer o recolhimento de produtos devolvidos pelos consumidores. 


O autor da proposta, apresentada no ano passado, é o vereador Professor Garcia (PMDB). “Conversando com inúmeras pessoas, todas tinham pelo menos um remédio vencido em casa e não sabiam como se desfazer”, disse. Segundo o parlamentar, o objetivo da legislação é conscientizar as pessoas sobre o descarte adequado e responsabilizar a indústria pelo recolhimento dos produtos não utilizados no prazo. “As mesmas que oferecem devem prever o destino do material”, defende. 


Assim que a proposta for sancionada, as farmácias já deverão se adequar à lei. Os estabelecimentos que não cumprirem as novas normas podem receber advertência, multa de R$ 5,5 mil na primeira autuação e de R$ 11,1 mil em caso de reincidência, suspensão e cassação do alvará de funcionamento. Apesar de terem um custo para dar destino final aos remédios, as empresas estarão fidelizando clientes, segundo o vereador. 


Descarte consciente 


Na capital, a rede de farmácias Panvel já recolhe medicamentos vencidos desde 2010. Em dois anos, 6,7 toneladas de remédios fora do prazo de validade foram arrecadados. De acordo com a coordenadora da iniciativa, a farmacêutica Leonor Moura, os produtos recolhidos vão para um aterro industrial. “As caixas e bulas são recicladas, mas o resto do material não tem reaproveitamento ainda”, explicou. 


Atualmente, não há uma legislação nacional sobre o descarte de remédios vencidos. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) estima que 34 mil toneladas de medicamentos perdem a validade anualmente no país. 
Como funciona Atualmente, algumas farmácias de manipulação fazem recolhimento por meio de máquina ou manual. Com a lei: Todos os estabelecimentos autorizados a vender medicamentos terão que receber os produtos de volta. 


Por meio de máquinaPelo código de barras, a máquina reconhece o produto, que é depositado no compartimento ideal.
Manual Pelo meio manual, o farmacêutico recebe o remédio.liente rasga caixa e bula para descaracterizar medicamento e os deposita no compartimento indicado.


Caixas e bulas poderão ser recicladas, mas medicamentos fora do prazo de validade irão para aterro industrial. 



Fonte: Metro - Porto Alegre | Pág. 4




Deseja divulgar seu evento?

Clique aqui e preencha o formulário! É simples!





Palavras de Moacyr Scliar

Na qualidade de profissional da área da saúde, tenho a maior admiração por "O Cuidador", bela publicação editada por Marilice Costi que preenche, com sensibilidade e competência, uma lacuna: aquela representada pela necessidade de amparar os que cuidam de pessoas com limitações. Este periódico é um benefício para toda a sociedade.



Aqui outros depoimentos





Produtos Culturais e Serviços Ltda. - Bairro Farroupilha - Porto Alegre - Brasil - Fone: +55 51 3508.8009 - [email protected]